Ir para conteúdo

Notícias

Câmeras e IA mapeiam condições da malha viária e de espaços públicos de Curitiba

Em 15 meses, a aplicação desenvolvida pelo ICI abriu mais de 4,3 mil protocolos relativos a buracos nas ruas (Foto: José Fernando Ogura/SMCS)

Um novo projeto tem contribuído com a identificação e resolução de problemas na malha viária e espaços públicos da cidade de Curitiba. Trata-se da Zeladoria Digital, sistema desenvolvido pelo Instituto das Cidades Inteligentes (ICI) em parceria com as secretarias de Administração, Gestão de Pessoal e Tecnologia da Informação (Smap) e do Governo Municipal (SGM).

Com câmeras instaladas em carros da frota do município e de aplicativos, é possível monitorar a situação das ruas da cidade, avaliar o pavimento e outros elementos que o compõem. Por meio da combinação de hardware e software, baseados em Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA) e aprendizado de máquina, a tecnologia consegue capturar e processar imagens por visão computacional, reconhecendo elementos como buracos na via, lombadas, placas de sinalização, tampas de bueiros, vegetação nas calçadas e até mesmo eficiência da iluminação pública.

No lançamento da aplicação, durante a Smart City Expo Curitiba, realizada em março, o prefeito Rafael Greca destacou a importância da inovação nos serviços públicos. “Usamos a Inteligência Artificial a favor do zelo que temos com a nossa cidade. A implantação dessa Zeladoria Digital é um exemplo de como a tecnologia pode auxiliar a administração pública a identificar e corrigir os problemas”, disse.

Por meio da ferramenta, no período de 15 meses já foram abertos mais de 4.300 protocolos relativos a buracos nas ruas, sendo que mais de 70% foram resolvidos pela prefeitura. Além disso, outro dado interessante é que os veículos que circulam por Curitiba diariamente já cobriram praticamente 96% das vias da cidade.

O coordenador de Sistemas Departamentais e líder do projeto no ICI, Felipe Rezende, comenta que o sistema está alinhado ao conceito de cidades inteligentes, proporcionando uma gestão mais moderna e eficiente na administração pública. “Cidades inteligentes são mais proativas, não tão reativas. Se antecipar com o uso da tecnologia é ser uma cidade inteligente”, declarou.

Outros recursos disponíveis aos gestores públicos na solução são painéis de mapas que dão uma visão real e detalhada da condição das vias da cidade. Segundo os dados levantados, mais de 57% das ruas estão boas ou ótimas.

*Com informações da Prefeitura de Curitiba